cmrmc

cmrmc

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Show "Serestas e Canções" com Eduardo Canto

Eduardo Canto 
Dia 28/7 - Quinta-feira - 19h30
No passado, os apaixonados detinham-se às janelas de suas pretendidas, para tocar e cantar madrugada a dentro, iluminados pela luz da lua, constituindo um costume boêmio que logo passou a denominar-se seresta ou serenata.
O estilo musical das serenatas sempre ficou a critério ou ao gosto dos apreciadores, o que predomina é a linha melódica romântica e envolvente, podendo entrecruzar-se na seresta vários ritmos, como sambas, canções, marchas, toadas - que prestam-se perfeitamente a uma adorável boemia.
No show SERESTAS & CANÇÕES o cantor Eduardo Canto, relembrará algumas histórias de amor musicadas da época de ouro do rádio, e contará a história de suas composições e autores. No roteiro do show SERESTAS & CANÇÕES, clássicos como Chão de Estrelas, Eu Sonhei Que Tu Estavas Tão Linda, Serra Da Boa Esperança, Lábios Que Beijei, A Deusa Da Minha Rua, Camisola Do Dia, Malandrinha, Paz Do Meu Amor, A Volta Do Boêmio e Negue.
Eduardo Canto estará acompanhado do pianista e cantor Wladimir Pinheiro, que recentemente participou do musical Orfeu, como o poetinha Vinicius de Moraes. Um show para cantar, relembrar e se emocionar.

Show de humor Stand up comedy


Cia Comédia d' Marte 
Dias 29 e 30/7 - sexta-feira às 19h30 e sábado às 19h
Censura: 14 anos

Show de humor “Stand up comedy” 
O grupo tem quatro membros, mas o elenco é rotativo. Os shows terão a participação de um ou dois comediantes diferentes, para tornar o espetáculo mais dinâmico. O grupo é formado por Bruno Frangolino, Fernando Gabriel, Gustavo de Moraes, Marcos Valim e Yan Tarik.
Inicialmente a idéia do grupo era fazer comédia Stand Up, mas com o tempo percebemos que o nosso principal objetivo era fazer todo mundo rir, não nos limitando a um estilo de comédia apenas.
O ponto forte do grupo é o stand up comedy, mas devido a versatilidade do grupo hoje podemos atuar em qualquer seguimento da comédia: Jogos de Improviso, Show de Piada, Paródias Musicais, Imitações, e Esquetes cômicas.
Stand-up comedy é uma expressão em língua inglesa que indica um espetáculo de humor
executado por apenas um comediante. O humorista se apresenta geralmente em pé (daí o termo 'stand up'), sem acessórios, cenários, caracterização, personagem ou o recurso teatral da quarta parede, diferenciando o stand up de um monólogo tradicional. Também chamado de humor de cara limpa, termo usado por alguns comediantes.
O humorista stand up não conta piadas conhecidas do público (anedotas). O texto é sempre original, normalmente construído a partir de observações do dia-a-dia e do cotidiano.
Praticamente qualquer coisa pode ser usada como ingrediente na comédia stand-up. O estilo é considerado por muitos um dos gêneros mais difíceis de se executar e dominar, talvez porque o artista em cena esteja desarmado, despido de personagens, apresentando suas idéias a respeito das coisas do mundo, e ainda esteja à mercê da platéia: não raro deve-se ajustar rapidamente sua apresentação de acordo com o humor e gosto de uma platéia específica. Ainda, as habilidades necessárias pra ser um stand-up comedian são diversas. É freqüentemente necessário que se assuma de forma solitária os papéis de escritor, editor, artista, promotor, produtor, e técnico simultaneamente.

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Show com Eduardo Canto


Eduardo Canto
Dia 21/7 - Quinta-feira - 17h
Show “Serestas & Canções” 
No passado, os apaixonados detinham-se às janelas de suas pretendidas, para tocar e cantar madrugada a dentro, iluminados pela luz da lua, constituindo um costume boêmio que logo passou a denominar-se seresta ou serenata.
O estilo musical das serenatas sempre ficou a critério ou ao gosto dos apreciadores, o que predomina é a linha melódica romântica e envolvente, podendo entrecruzar-se na seresta vários ritmos, como sambas, canções, marchas, toadas - que prestam-se perfeitamente a uma adorável boemia.
No show SERESTAS & CANÇÕES o cantor Eduardo Canto, relembrará algumas histórias de amor musicadas da época de ouro do rádio, e contará a história de suas composições e autores. No roteiro do show SERESTAS & CANÇÕES, clássicos como Chão de Estrelas, Eu Sonhei Que Tu Estavas Tão Linda, Serra Da Boa Esperança, Lábios Que Beijei, A Deusa Da Minha Rua, Camisola Do Dia, Malandrinha, Paz Do Meu Amor, A Volta Do Boêmio e Negue.
Eduardo Canto estará acompanhado do pianista e cantor Wladimir Pinheiro, que recentemente participou do musical Orfeu, como o poetinha Vinicius de Moraes. Um show para cantar, relembrar e se emocionar.

Show com Bambo de bambu


Bambo de Bambu
Dias 22 e 23/7 - sexta-feira às 19h30; e sábado às 19h
Show “Memórias do Rio” 
O Grupo Bambo de Bambu nasceu da paixão e da pesquisa sobre a história do Rio de Janeiro, especialmente seu recorte cultural e musical.
A criação do grupo aconteceu pelo desejo de visitar o clima peculiar de uma época em que a música carregava consigo o bom humor, a irreverência inteligente típica da tradição musical carioca e sonoridades particulares: Choro, Marchinhas, Sambas, com seus autores fundamentais para a música do Rio. Então surgiu a idéia de reunir músicos identificados com o material de pesquisa levantado para criar um show todo baseado no vasto repertório da musica regional carioca.
Forma-se então em 2006, com pompa e circunstância, o BAMBO DE BAMBU.
Com um acervo impressionante de músicas, fotografias, filmes e literatura de época, o Bambo de Bambu criou um espetáculo que combina com maestria todos esses elementos, tornando fácil a identificação do público com a ambiência dos grandes carnavais e folias cariocas.
A proposta do grupo já foi apreciada e aprovada por milhares de pessoas em várias cidades do estado e por onde passam vem o convite para retornarem. E não é por acaso, pois são quase duas horas em que o público dança, ri e interage com a história musical do Rio e prova seu vigor e atualidade.
Um telão faz o cenário dos shows e exibe imagens de época. Figurinos inspirados e pequenas histórias do puro humor carioca levam o público a perceber que a raiz musical do Rio de Janeiro, sua marca registrada, está viva e permanece como um forte elo de ligação cultural.
O grupo Bambo de Bambu considera fundamental criar caminhos para a interação do público com o vigor da cultura musical carioca.
Viajar pelo universo de sonoridades criadas por autores como Pixinguinha, Assis Valente, Noel Rosa, Braguinha, Lamartine Babo, Ataulfo Alves, Ernesto Nazareth, Aníbal Silva, entre tantos outros é reencontrar um manancial de inspiração para manter viva a alegria e a força criativa carioca.
No repertório previsto para o show estão as músicas:
Touradas em Madrid ( João de Barro & Alberto Ribeiro ) , Lá Vem o Ipanema- ("Marina" Batista-Roberto Roberti-Arlindo Marques Jr.) , Adeus ( Noel Rosa, Francisco Alves e Ismael Silva) , Maria Boa ( Assis Valente ), Falam de Mim ( Noel Rosa de Oliveira - Éden Silva - Aníbal Silva ), Bambo de Bambu ( Donga – Almirante - V. Abreu e P. Teixeira ), Laranja Madura ( Ataulfo Alves), Fim de Semana em Paquetá ( Alberto Ribeiro e Braguinha), Maria Candelária ( Armando Cavalcanti e Klécius Caldas), Na Cadência do Samba ( Ataulfo Alves), Não Resta a Menor Dúvida (Hervê Cordovil & Noel Rosa), Tem Gato na Tuba (João de Barro & Alberto Ribeiro), Piston de Gafieira (Billy Blanco), Jura ( José Barbosa da Silva (sinhô) ), Cidade Mulher (Noel Rosa), Chegou a Bonitona\(Geraldo Pereira / José Batista), Marcha do Gago (Armando Cavalcanti - Klécius Caldas), Maria Escandalosa ( Klécius Caldas/Armando Cavalcanti ) e Allah-la-ô ( Haroldo Lobo e Nássara)

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Show "Mestres do samba" com Eduardo Canto

 
Eduardo Canto
Dia 14/7 - Quinta-feira - 17h
Show “Mestres do samba” 
Depois do sucesso do show em homenagem a Lupicinio Rodrigues, Eduardo Canto e toda magnitude de sua voz de barítono, lança SAMBA DE MESTRE. No roteiro sambas que nos remetem ao Rio antigo, às suas histórias de malandragem e às noites apaixonantes embaladas pelas poesias musicadas de compositores da época de ouro do rádio, e emociona na interpretação de O MUNDO É UM MOINHO de Cartola, SOMOS IGUAIS de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, ÚLTIMO DESEJO de Noel Rosa, MENSAGEM de Aldo Cabral e Cícero Nunes. Eduardo regravou também SEM COMPROMISSO de Nelson Trigueiro e Geraldo Pereira e MEMÓRIAS DO CAFÉ NICE de Monalisa e Artulio Reis, imortalizada na voz de Nelson Gonçalves.
Roteiro Do Show: Último Desejo – Noel Rosa / O Mundo É Um Moinho – Cartola / Somos Iguais – Jair Amorim e Evaldo Gouveia /Cabelos Brancos – Marino Pinto e Herivelto Martins / Esses Moços – Lupicinio Rodrigues / Nervos de Aço – Lupicinio Rodrigues / Louco – Wilson Batista / Mensagem – Cicero Nunes e Aldo Cabral / Sem Compromisso - Geraldo Pereira e N. Trigueiro /Pois É – Ataulfo Alves / Antonico – Ismael Silva / Memórias Do Café Nice – Monalisa e Artulio Reis / A Flor E O Espinho – N. Cavaquinho, A.Caminha e G. de Brito / O Neguinho E A Senhorita – Noel Rosa de Oliveira e Abelardo Silva

Show com Mário Noya


Mário Noya  
Dias 15 e 16/7 - sexta-feira às 19h30, e sábado às 19h

Show “Noite sem fim” 
Não diferente de muitos profissionais da música no Brasil, a escola deste mineiro foi mesmo a noite. Filho de um violonista o talento musical e poético de Mário Noya já se manifestava desde sua infância. Iniciou sua carreira tocando em bares, festas e eventos musicais em diversas casas noturnas de Belo Horizonte e cidades vizinhas.
No inicio dos anos 90 uniu-se a outros músicos e formou a banda “Brilho de Beleza”, com um estilo dançante. Teve até então seu melhor desempenho, fazendo uma música pop com elementos do samba reggae. Por muito tempo manteve shows semanais no tradicional bairro de Santa Teresa-BH com média de duas mil pessoas em pleno domingo. Mas o “Axé-Music” e Mário Noya seguiram rumos diferentes.
O artista preferiu enveredar na busca de uma música cada vez mais conceitual e foi conhecer novas culturas. Imergiu na música mato-grossense. Curioso foi estudar as raízes negras da cultura da região pantaneira e cuiabana legítima, o que resultou na produção, em parceria com a Secretaria de Cultura do Estado de Mato Grosso, do CD independente, “Mário Noya – O DE SEMPRE” Inspirado no filme “Os Cinco Morenos”, de Luiz Borges, que teve uma tiragem de três mil cópias e foi um dos mais tocados nas rádios do Estado Mato-grossense.
De volta a Belo Horizonte montou a banda “Zig Vagalume”, com um estilo pop rock, subiu e desceu os morros de BH fazendo temporadas no “Barnabé”, famoso espaço de shows localizado na Savassi, reduto dos botecos da capital das Minas. A recepção calorosa do público resultou num CD homônimo com levadas de reggae, funk e rock a tiragem promocional de duas mil cópias, rapidamente consumida pelos fãs mineiros, até hoje fiéis seguidores de Noya. Projetos paralelos dos integrantes da “Zig Vagalume”, obrigaram Mário a extinguir a banda e pensar em sua carreira solo. Já era a hora.
Surgia então o CD “Misto Quente” onde cantava além de suas composições, clássicos como: Sinal Fechado de Paulinho da Viola e Durango Kid de Toninho Horta.
Abria-se assim o caminho para o primeiro CD completamente autoral. Era 2006 e agora com sua banda, que possuía um entrosado trio de metais, compartilhando idéias e sugestões num processo de criação coletiva, lançou o CD “Divirta-se”, o single e vídeo clipes das músicas “Renata” e “A Máquina do Tempo”, maior sucesso do cantor até hoje .
A partir daí, foi convidado para realizar shows no Brasil e fora dele, em eventos que iam de descontraídos encontros de colecionadores de carros antigos, grupo reconhecidamente afinado com a música “A Maquina do Tempo”, a solenidades como uma apresentação no navio Costa Marina (Itália). Em 2008 realizou show em Natal-RN dentro do projeto Mão Dupla que reuniu artistas do RN e MG, no histórico bairro da Ribeira. Em 2009, além dos redutos brasilienses tradicionais, Clube do Choro e Feitiço Mineiro, realizou shows em parceria com o cantor potiguar Geraldo Carvalho em Brasília-DF e outras capitais, pelo mesmo projeto.
No momento se prepara para realizar a turnê “Palco Caminhão Show Itinerante” que correrá a região sudeste a partir do segundo semestre, projeto este que tem o apoio do Governo Federal.
Mário Noya lança agora o novo CD “Noite Sem Fim”, que foi gravado no período de março a abril de 2010 no Rio de Janeiro. O álbum que tem dez músicas próprias (algumas em parceria como “Beijo Roubado”, assinada também pelos compositores potiguares Romildo Soares e Geraldo Carvalho), foi produzido por J Souza e arranjado por Guto Wirtti e Henrique Band. “Noite sem Fim”, com muito bom humor e swing, mistura rock e samba-funk e conta com a participação de grandes artistas como o baterista Cláudio Infante, os baixistas André Vasconcelos e Jamil Joanes, os guitarristas Felipe Pinoud e Bernardo Bosisio entre outras feras.
Ouvindo o CD ou assistindo o show é possível captar a mensagem de Mário Noya e de sua banda: na vida e nos palcos diversão é solução sim!!!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Show "Mestres do samba" com Eduardo Canto

 Eduardo Canto 
Dia 7/7 - Quinta-feira - 17H

Show "Mestres do samba"
Depois do sucesso do show em homenagem a Lupicinio Rodrigues, Eduardo Canto e toda magnitude de sua voz de barítono, lança SAMBA DE MESTRE. No roteiro sambas que nos remetem ao Rio antigo, às suas histórias de malandragem e às noites apaixonantes embaladas pelas poesias musicadas de compositores da época de ouro do rádio, e emociona na interpretação de O MUNDO É UM MOINHO de Cartola, SOMOS IGUAIS de Jair Amorim e Evaldo Gouveia, ÚLTIMO DESEJO de Noel Rosa, MENSAGEM de Aldo Cabral e Cícero Nunes. Eduardo regravou também SEM COMPROMISSO de Nelson Trigueiro e Geraldo Pereira e MEMÓRIAS DO CAFÉ NICE de Monalisa e Artulio Reis, imortalizada na voz de Nelson Gonçalves.
Roteiro Do Show: Último Desejo – Noel Rosa / O Mundo É Um Moinho – Cartola / Somos Iguais – Jair Amorim e Evaldo Gouveia /Cabelos Brancos – Marino Pinto e Herivelto Martins / Esses Moços – Lupicinio Rodrigues / Nervos de Aço – Lupicinio Rodrigues / Louco – Wilson Batista / Mensagem – Cicero Nunes e Aldo Cabral / Sem Compromisso - Geraldo Pereira e N. Trigueiro /Pois É – Ataulfo Alves / Antonico – Ismael Silva / Memórias Do Café Nice – Monalisa e Artulio Reis / A Flor E O Espinho – N. Cavaquinho, A.Caminha e G. de Brito / O Neguinho E A Senhorita – Noel Rosa de Oliveira e Abelardo Silva.

Show com Carlos Navas


Carlos Navas 
Dias 8 e 9/7 - sexta-feira 19h30 e sábado 19h
 
   Show “Junte tudo o que é Seu“
Carlos Navas lança seu nono CD, dedicado às canções de Custódio Mesquita, um dos mais importantes autores brasileiros, cujo centenário de nascimento foi completado ano passado. Ao lado da pianista Monique Aragão, ele faz um passeio delicado através desta obra sensível e refinada que influenciou mestres como Tom Jobim. São parcerias do homenageado com Sadi Cabral, Evaldo Rui, Mário Lago, Noel Rosa e Orestes Barbosa. Clássicos como “Enquanto houver Saudade”, “Nada Além”, “Como os rios que correm pro mar”, “Saia do Caminho” (de onde foi extraído o subtítulo), “Noturno em tempo de Samba”, “Adivinhe Coração”, “Mentirosa” e “Velho Realejo” são algumas das pérolas presentes. Mario Reis, célebre intérprete a quem Navas tributou em belo álbum lançado em 2007, também será reverenciado através de “Prazer em Conhecê-lo” (única parceria de Custódio e Noel Rosa) e “Doutor em Samba”, imortalizadas em sua voz.

Show com a Orquestra Brasileira do Rio de Janeiro - no jardim

 
Orquestra Brasileira do Rio de Janeiro
Dia 9/7 - sábado - 11H
Gratuito
 
A OBRJ fará uma apresentação no jardim do Centro Municipal de Referência da Música Carioca, como encerramento das atividades do primeiro semestre. No repertório músicas que fazem parte do CD lançado no final de 2010, além de outros arranjos que já fazem parte do repertório da orquestra. O CD Orquestra Brasileira do Rio de Janeiro – Volume 1, traz composições exclusivas de Dona Ivone Lara, Gilson Peranzzetta, João Lira e Leandro Braga, entre outros, que também assina a produção musical. Contou ainda com a participação especial de Chico César interpretando a canção “Sempre” de Rubens Kurin.

Repertório a ser apresentado:

- Jurando Falso – Pixinguinha
- Chiclete com Banana – Gordurinha e Almira Castilho
- É Hoje – Didi e Mestrinho
- Samba da Benção – Vinícius de Moraes e Baden Powell
- Rio que Bate – Leandro Braga
- Aquele Abraço – Gilberto Gil
- Turma da Paz – Gilson Peranzzetta
- Destino – Dona Ivone Lara e Bruno Castro
- Sempre – Rubens Kurin

A Orquestra Brasileira do Rio de Janeiro faz parte do “Projeto TIM Música nas Escolas” e
foi formada em meados de 2007 sendo constituída por 60 jovens músicos que foram selecionados nas escolas públicas municipais Soares Pereira, Gonçalves Dias e José Piquet Carneiro, ao longo das atividades do projeto. Os participantes da Orquestra recebem semanalmente aulas de teoria, de instrumentos específicos e prática de orquestra.

O TIM Música nas Escolas possibilita a crianças e adolescentes de escolas públicas, por
meio da linguagem universal da música, novas formas de aprendizagem que contribuem para a melhoria do desempenho escolar e estimulam o desenvolvimento de uma cultura de paz (conceito sustentado pela Unesco). O projeto já envolveu até o momento mais de 20 mil estudantes em 13 cidades brasileiras.
No Rio de Janeiro, o TIM Música nas Escolas acontece desde o início de 2005.