cmrmc

cmrmc

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Rio Música

PROGRAMA DE REATIVAÇÃO DO CENTRO DE REFERÊNCIA DA MÚSICA CARIOCA

Iniciado no dia 21 de janeiro, no Centro de Referência da Música Carioca, o programa Rio Música, de ações que focalizam os diversos aspectos da música praticada no Rio de Janeiro através dos tempos.

O programa tem diversas ações do Rio Música, que culminarão em abril com a primeira exposição sobre a música carioca de todos os tempos.

A partir do dia 22 de janeiro, o Rio Música tem apresenta regularmente espetáculos e ações educacionais:

Rio Música Clássica – concertos comentados  –  quintas às 19h30;
Rio Jazz – espetáculos de música instrumental e vocal  –  sextas às 19h30;
Rio Ritmos – shows de samba, choro, bossa nova – sábados às 19h30;
Rio Música para crianças – ações educacionais para crianças aos domingos, às 11h;
(Inscrições do Rio Música para crianças pode está sendo feita pelo e-mail: contato.cmrmc@gmail.com)
Rio Música Jovem – bandas espetáculos voltados ao público jovem – domingos, às 18h.


SEGUE ABAIXO A PROGRAMAÇÃO DA SEMANA:

Rio Música Clássica


Maria Teresa Madeira
Dia 2/2 - Quinta-feira - 19h30

Nesta quinta-feira, Maria Teresa Madeira toca Villa-Lobos, Ernesto Nazareth e Chiquinha Gonzaga.

Desde o início, a intensa e multifacetada carreira musical de Maria Teresa Madeira encontra-se marcada por experiências importantes, seja no campo artístico, seja no campo acadêmico.
Bacharel em Piano pela Escola de Música da UFRJ e Mestre em Música pela Universidade de Iowa, nos EUA, já realizou recitais e concertos nos EUA, Colombia, França, Argentina, Finlândia, Tunísia, Espanha  e Alemanha, sempre priorizando a divulgação da música brasileira.
Na área acadêmica, tem compartilhado suas experiências em cursos, workshops e Festivais de Música por todo o Brasil Além disso, mantém atividade regular como professora do curso de Bacharelado da UniRio como professora Assistente 40 hs de Piano.
Maria Teresa Madeira é, ainda, patrona do Concurso Nacional de Piano que leva seu nome, www.concursomariateresamadeira.com.br.

O cd "Radamés Gnatalli -100 anos" que gravou com o Novo Quinteto (formado tb por Oscar Bolão, Henrique Cazes, Marcos Nimrichter e Omar Cavalheiro), foi um dos três finalistas ao Premio Rival Petrobrás de 2008.
O cd "Radamés e o sax" que gravou com Léo Gandelman e o Novo Quinteto, foi agraciado com o Premio Tim (2007) como melhor disco de música instrumental.

Rio Jazz

Cama de Gato
Dia 3/2 - Sexta-feira - 19h30
Com seis CDs na bagagem, o grupo instrumental Cama de Gato foi fundado em 1985 pelos músicos Pascoal Meirelles (bateria) e Mauro Senise (sax e flauta). Até 1994, lançou três CDs, sendo que o primeiro vendeu mais de 75 mil cópias, um feito para a música instrumental brasileira. A partir de 94, Jota Moraes assume os teclados e introduz o vibrafone em algumas faixas, o que dá ao som do grupo uma cor especial. Neste mesmo ano, Mingo Araújo se junta ao Cama de Gato, acrescentando sua percussão cheia de brasilidade. Mais dois CDs são lançados: “Dança da Lua” e “Amendoim torrado”. Em 2003, foi lançado o novo disco, “Água de chuva”. Uma das marcas registradas do grupo é trabalhar com composições dos próprios músicos. “Não é uma atitude exclusivista. É que gostamos de tocar nossas músicas. Não tocamos material alienígena”, brinca Pascoal Meireles. O Cama de Gato faz turnês pela Europa e pelo Brasil, já tendo se apresentado no famoso Town Hall em Nova York. Também fez três apresentações memoráveis no Free Jazz, no festival de jazz de Aruba, no Caribe, no Malta Jazz Festival, na ilha de Malta e no Jazz at Juan, em Juan les Pins, na França. Outra atividade paralela do Cama de Gato são os workshops. Em cada cidade, uma legião de músicos locais e de estudantes procura o grupo a fim de conhecer o processo de criação e os métodos musicais usados pelo grupo. Em 2004, o grupo fez turnê pela América Latina, obtendo imenso sucesso de público e de crítica. Em Quito, no Equador, lotou o Teatro Nacional, o principal da cidade, com capacidade para 2.500 pessoas. Em 2005, foram aclamados em dois festivais internacionais: o da ilha de Malta e o de Juan les Pins, na França. O Cama de Gato é formado por Jota Moraes (teclados), Mauro Senise (sax e flauta), Pascoal Meirelles (bateria), André Neiva (baixo) e Mingo Araújo (percussão).


Rio Ritmos

Rodrigo Carvalho
Dia 4/2 - Sábado - 19h30
Cantor e compositor, Rodrigo Carvalho iniciou sua carreira em gravações e shows de Beth Carvalho, ainda na década de 90.
É fundador e ex-vocalista do Galocantô, um dos principais grupos de samba do cenário musical do Rio de Janeiro, com dois CDs indicados ao Prêmio da Música Brasileira (2007 e 2010). Comandou o grupo por mais de 10 anos, subindo ao palco com artistas do quilate de Arlindo Cruz e Nei Lopes, entre outros. Com o grupo, se apresentou nas principais casas do Rio de Janeiro, como Centro Cultural Banco do Brasil, Circo Voador, Fundição Progresso, Carioca da Gema, Rio Scenarium, Trapiche Gamboa, entre outras. E também em outros estados brasileiros, como São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco e Mato Grosso.
Nas quadras das escolas de samba, Rodrigo interpretou sambas-enredo em disputas no Império Serrano (onde foi campeão com Arlindo Cruz) e na Vila Isabel (com Moacyr Luz), entre outras escolas. Como compositor, foi finalista em concursos na Beija-Flor de Nilópolis e no Festival de Música da Escola Villa-Lobos.
Desde cedo freqüentou rodas de samba, da Lapa a Madureira, de Vila Isabel a Botafogo. Fato que lhe deu o conhecimento dos caminhos do samba e da vida como sambista.
Rodrigo estreou a carreira-solo em 2011, no histórico auditório da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, com transmissão ao vivo pela internet.
Nos seus shows, apresenta as músicas com a energia e a cadência que o samba sugere. No repertório, canções como a autoral, “Chora” (Edu Tardin, Rodrigo Carvalho e Ferreira), “Doce na Feira” (Jair do Cavaquinho) e a inédita, “Classificado” (Ernesto Pires e Sergio Fonseca), além de sambas enredo como “Círio de Nazaré” (Unidos de São Carlos - 1975) e “Domingo” (União da Ilha - 1977). Da canção ao sincopado, do partido-alto ao samba de enredo, o repertório remete o público ao universo do cotidiano carioca.







Rio Música para crianças



Choro com Daniela Spielmann
Dia 5/2 - Domingo - 16h

Objetivos gerais da oficina:
- Implementação da capacidade auditiva, através de elementos teóricos musicais.
- Contextualização histórica e social a partir de cada momento do desenvolvimento do choro: a profissão de musico no final do século dezenove, o musico de choro e as bandas militares, o musico e a indústria fonográfica, o LP, a era do rádio , os grupos no exterior, os regionais, os grupos hoje e solistas reconhecidos no mundo.
- sensibilização para formação de platéia ouvinte desta música e possível profissionalização.
- valorização da cultura nacional
- introdução de elementos musicais básicos.
- Prática de conjunto enaltecendo o convivio social e o respeito ao próximo.
Objetivo específicos:
Ambientar os participantes com o gênero choro , iniciação musical na flauta, contato com a metodologia do Passo e com o canto associado à percussão corporal ; incentivar a apresentação pública comportamento em cena e o respeito ao próximo através do convívio social musical respeitando a premissa de que para se tocar bem é preciso escutar o colega ao lado.


Inscrições pelo e-mail: riomusicaoficinas@vertigo30.com.br

Rio Música Jovem



Os outros
Dia 5/2 - Domingo - 18h

Desde a estréia, com Nós Somos Os Outros, em 2007, Os Outros trabalham ao redor de canções autorais. Para o jornal O Globo, em crítica sobre esse primeiro disco da banda, foi uma “estréia com muita personalidade, apoiada em melodias interessantes e letras muito bem construídas”. E essa continua sendo a essência do trabalho.

Tal qual o primeiro disco, a importância das letras e melodias permanece central em Pacote Felicidade, disco recém lançado. Mas os universos e temas mudaram; a poética e a estética ao redor dessas canções cresceram em uma nova direção. Junto das guitarras distorcidas, entram sopros, teclados e efeitos.

As composições de Vitor Paiva e Botika oferecem uma poética diferente do que se espera, justamente por ambos dialogarem sempre com a literatura em suas letras; Além de músicos, Botika e Vitor são também escritores, com resenhas suoer elogiadas em diversos jornais do Rio e São Paulo.

A banda já tocou em diversos cidades, festivais e shows pleo Brasil, como Curitiba, Vitória, Recife, Fortaleza, São Paulo e Belo-Horizonte.

Recentemente, também estão em um projeto com a cantora Teresa Cristina cantando músicas do Roberto Carlos.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Rio Música

PROGRAMA DE REATIVAÇÃO DO CENTRO DE REFERÊNCIA DA MÚSICA CARIOCA
Estreia no dia 21 de janeiro, no Centro de Referência da Música Carioca, o programa Rio Música, de ações que focalizam os diversos aspectos da música praticada no Rio de Janeiro através dos tempos.
O programa será lançado no dia 21/1 às 19h30 com um espetáculo da cantora Joyce que canta “No Compasso da História”, síntese da série de 15 programas que realizou na MultiRio com o propósito de “contar a História do Brasil de uma maneira lúdica, por meio da música”.
Após o show da cantora, o público assistirá a uma apresentação das ações do Rio Música, que culminarão em abril com a primeira exposição sobre a música carioca de todos os tempos.
A partir do dia 22 de janeiro, o Rio Música apresenta regularmente espetáculos e ações educacionais:
Rio Música Clássica – concertos comentados  –  quintas às 19h30;
Rio Jazz – espetáculos de música instrumental e vocal  –  sextas às 19h30;
Rio Ritmos – shows de samba, choro, bossa nova – sábados às 19h30;
Rio Música para crianças – ações educacionais para crianças aos domingos, às 16h;
Rio Música Jovem – bandas espetáculos voltados ao público jovem  – domingos, às 18h.
 
Segue abaixo a programação da semana

Rio Música Clássica


Orquestra de cordas da OPES 
(Orquestra Petrobras Sinfônica) 
Dia 26/01 - Quinta-feira - 19h30

PROGRAMA:
Heitor Villa Lobos (1887-1959)
Prelúdio - Bachianas nº 4

Ernani Aguiar (1950)
4 Momentos nº 3 para Orquestra de Cordas

Antonio Vivaldi (1678-1741)
Primavera (I movimento)

Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)
Serenata Noturna (I movimento)

Antonio Carlos Gomes (1836-1896)
Burrico de Pau

César Guerra-Peixe (1914-1993)
Mourão

Ary Barroso (1903-1964)
Aquarela do Brasil

Rio Jazz

David Feldman
Dia 27/01 - Sexta-feira - 19h30
Segundo o crítico Luiz Orlando Carneiro, David Feldman é hoje “… o mais técnico e inspirado pianista brasileiro de jazz do momento”. Desde que retornou ao Brasil, em 2004, o pianista está chamando a atenção da crítica especializada como um dos mais novos talentos na circuito do jazz atual.

Em seu show de piano solo, Feldman derruba criativamente as barreiras estilísticas. O repertório inclui grandes compositores da música brasileira, como Pixinguinha, Chico Buarque, Noel Rosa, e Baden Powell, e gênios do jazz e da música popular norte-americana, como Thelonious Monk, George Gershwin, Richard Rodgers e Lorenz Hart.

No processo de improviso fluente, o pianista jazzifica os temas brasileiros, e abrasileira os americanos, também se inspirando nas influências vindas da música contemporânea do século XX, como Debussy, Bela Bartok e Heitor Villa-Lobos.

Rio Rítmos

Moacyr Luz
Dia 28/01 - Sábado - 19h30

Moacyr Luz, carioca, possui nove CDs gravados trazendo em cada trabalho importantes referências à Música Brasileira.
Do primeiro, relançado em CD “Moacyr Luz 1988” as participações de Raphael Rabello, Sivuca e Hélio Delmiro, dão um caráter acústico e lírico as canções primeiras da dupla Moacyr Luz e Aldir Blanc.
Em “Vitória da Ilusão” uma fusão de ritmo traduz dez anos da parceria, reunindo Medalha de São Jorge, Mico Preto, Saudades da Guanabara e Flores em Vida pra Nelson Sargento.
O CD “Mandingueiro” tem como referência maior o samba.
Elogiado pela crítica, o disco resgata a formação clássica das rodas de samba predominando as dobradinhas: cavaquinho e violão, bandolim e sete cordas, pandeiro, surdo, cuíca e tamborim. No repertório sambas como Anjo da Velha Guarda, Pra Que Pedir Perdão e Cachaça, Árvore e Bandeira.
“Na Galeria” seu quarto CD onde mostra o intérprete como carreira, recebendo críticas relevantes. Um repertório de compositores clássicos e arranjos intimistas, mas sofisticados. Foi considerado um dos melhores lançamentos do gênero do ano.

Na sua carreira de compositor, mais de 100 músicas gravadas por diferentes intérpretes da MPB, como, Maria Bethânia, Nana Caymmi, Beth Carvalho, Leny Andrade, Gilberto Gil e Leila Pinheiro.

Lançado em 2003, “Samba da Cidade”, Moacyr Luz homenageia o Rio de Janeiro.  Disco traz parcerias com um verdadeiro ‘quem é quem’ de compositores cariocas: Martinho da Vila, Nei Lopes, Wilson Moreira, Wilson das Neves, Aldir Blanc, Paulo César Pinheiro e Luiz Carlos da Vila.

O ano de 2004 começa com três fundamentais apresentações no Canecão ao lado de Jards Macalé, Luiz Carlos da Vila e Teresa Cristina.

Em março de 2005, com patrocínio da Petrobrás, lança o CD “A Sedução Carioca do Poeta Brasileiro” aonde poemas inspirados na cidade do Rio de Janeiro são musicados e apresentados em melodias dissonantes e arranjos rebuscados com o grupo Água de Moringa. Poetas representativos como Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade, Vinicius de Moraes e Mario de Andrade.
Inicia o segundo semestre de 2005 com o lançamento comercial pela DeckDisc do CD “Violão & Voz” onde, de maneira intimista, apresenta novas versões de suas composições gravadas por outros artistas. No mesmo disco também grava, como característica no seu trabalho, músicas de mestres como Noel Rosa, Cartola e Nelson Cavaquinho.

Participou de projetos importantes como Seis e Meia com João Nogueira, Pixinguinha com Luiz Carlos da Vila e Antenas do Ipiranga com Elton Medeiros.     
Finalista do Festival da Música Brasileira pela TV Globo, com o samba Eu só Quero Beber Água, fez parte do grupo  Dobrando a Carioca, ao lado de Guinga, Jards Macalé e Zé Renato, com apresentações em várias cidades brasileiras sendo considerado pelo jornal O Globo um dos três melhores shows do ano de 1999.
Inclui na carreira apresentações nos principais circuitos de cultura  do eixo Rio - São Paulo como CCBB, Museu do Telephone, Teatro Rival, Sesc Pompéia, Tom Brasil, Teatro Municipal de Niterói, Sala Funarte, Teatros Carlos Gomes e João Caetano.

Como produtor musical pela gravadora Lua Discos, realiza os últimos CDs de Guilherme de Brito, Casquinha da Portela e Jards Macalé.

Ainda em  2005 lança no Clube Renascença o Samba do Trabalhador uma roda de samba realizada nas tardes de segunda-feira, um horário inusitado, e grava CD e DVD com todos os artistas que freqüentam o local. O evento recebe um público surpreendente de 2000 pessoas em datas especiais.

Ainda como produtor musical realiza no mesmo período o CD “ Vida Noturna” do parceiro e amigo Aldir Blanc.

Abre 2007 com novo CD lançado pela DeckDisc - SEM COMPROMISSO - com o percussionista Armando Marçal, disco já recomendado pelo jornal O Globo.

Cria a roda de samba Samba, Luzia novo acontecimento na cidade com um público médio de 1000 pessoas às margens da Baía de Guanabara

Se apresenta em Luanda, Angola na Escola Nacional de Jornalismo da capital.

Participa do DVD Primeira Feira do Samba Carioca, uma parceria Zambo Discos e Canal Brasil.

Também nesse ano, grava músicas em discos de Zeca Pagodinho, Martinho da Vila, Luiz Carlos da Vila e novos talentos como Dorina, Juliana Amaral e Ione Papas.

Começa 2008 com show no Canecão, apresentando o Samba do Trabalhador ao público da zona sul.

Em abril, ao lado de Nilze Carvalho e Luiz Carlos da Vila, toca em Haia, Holanda, para o Presidente Lula e a Rainha dos Paises Baixos, Beatrix.

Em maio de 2008, ainda, se apresenta em Havana-Cuba dentro do Festival Cuba Discos –  África e sua Diáspora.

O carioca Moacyr Luz está lançando agora, janeiro de 2009, seu nono disco, Batucando, o primeiro pela gravadora Biscoito Fino, com participações especialissimas de Alcione, Beth Carvalho, Ivan Lins, Mart´nália, Martinho da Vila, Zeca Pagodinho, Luiz Melodia, Tantinho da Mangueira e Wilson das Neves.

Se apresenta em show solo na Espanha na Sala Clamores em Madrid e dentro do projeto da UIMP em Santander, participação que rendeu ao artista um registro em CD do evento cultural.

Alguns destaques em 2010 como shows na Casa da Música, em Grenoble-França e, no Brasil, ao lado da cantora Elza Soares no Centro Cultural Banco o Brasil-DF.

Como compositor, é o autor de “Vida da Minha Vida” música título do último CD do sambista Zeca Pagodinho, além de outras obras nos discos de Áurea Martins, Maria Bethânia e Gabriel Cavalcante.

Rio Música para crianças

 Choro com Daniela Spielmann
Dia 29/01 - Domingo - 16h



Objetivos gerais da oficina:
- Implementação da capacidade auditiva, através de elementos teóricos musicais.
- Contextualização histórica e social a partir de cada momento do desenvolvimento do choro: a profissão de musico no final do século dezenove, o musico de choro e as bandas militares, o musico e a indústria fonográfica, o LP, a era do rádio , os grupos no exterior, os regionais, os grupos hoje e solistas reconhecidos no mundo.
- sensibilização para formação de platéia ouvinte desta música e possível profissionalização.
- valorização da cultura nacional
- introdução de elementos musicais básicos.
- Prática de conjunto enaltecendo o convivio social e o respeito ao próximo.

Objetivo específicos:
Ambientar os participantes com o gênero choro , iniciação musical na flauta, contato com a metodologia do Passo e com o canto associado à percussão corporal ; incentivar a apresentação pública comportamento em cena e o respeito ao próximo através do convívio social musical respeitando a premissa de que para se tocar bem é preciso escutar o colega ao lado.

Rio Música Jovem


 Bondesom
Dia 29/01 - Domingo - 18h

O Bondesom é uma banda diferente. Os ritmos afro-latinos, o  jazz, o funk, e, principalmente, a música brasileira se unem nas composições autorais da banda, rompendo barreiras na música pelos temas marcantes e pela vitalidade dos músicos no palco. Suas melodias contagiam as pessoas. Sua diversidade rítmica convida para dançar e instiga os ouvidos mais atentos.
Com brasilidade e latinidade nas veias, o grupo tem largo alcance  e atrai um público eclético, de todas as idades. Por conta disso pôde se apresentar em eventos dos mais variados, e em mais de uma centena de shows realizados em casas de espetáculos do Rio de Janeiro. Lugares como Circo Voador - onde já se apre-
sentou quatro vezes como artista principal - Estrela da Lapa, Ballroom, Casa Rosa, Casa da Matriz, Casa da Gávea, Cine Íris, Espaço Rio Carioca, Teatro Casa Grande, entre muitos outros.
A banda é formada por Lucas Reis (teclados), Gabriel Guenther (bateria), Matias Zibecchi (percussão), Pedro Mangia (baixo), André Poy-art (Guitarra) e Yuri Villar (saxofones).

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Rio Música

PROGRAMA DE REATIVAÇÃO DO CENTRO DE REFERÊNCIA DA MÚSICA CARIOCA


Estreia no dia 21 de janeiro, no Centro de Referência da Música Carioca, o programa Rio Música, de ações que focalizam os diversos aspectos da música praticada no Rio de Janeiro através dos tempos.
O programa será lançado no dia 21/1 às 19h30 com um espetáculo da cantora Joyce que canta “No Compasso da História”, síntese da série de 15 programas que realizou na MultiRio com o propósito de “contar a História do Brasil de uma maneira lúdica, por meio da música”.

Após o show da cantora, o público assistirá a uma apresentação das ações do Rio Música, que culminarão em abril com a primeira exposição sobre a música carioca de todos os tempos.

A partir do dia 22 de janeiro, o Rio Música apresenta regularmente espetáculos e ações educacionais:

Rio Música Clássica – concertos comentados  –  quintas às 19h30;
Rio Jazz – espetáculos de música instrumental e vocal  –  sextas às 19h30;
Rio Ritmos – shows de samba, choro, bossa nova – sábados às 19h30;
Rio Música para crianças – ações educacionais para crianças aos domingos, às 16h;
Rio Música Jovem – bandas espetáculos voltados ao público jovem  – domingos, às 18h.

Rio Música


Joyce e convidados em
"No compasso da história"
Sábado - dia 21/1 - 19h30 
  Nascida no Rio de Janeiro, a cantora, compositora, arranjadora e instrumentista, JOYCE tem em sua bagagem uma extensa discografia e cerca de 400 gravações de músicas suas por alguns dos maiores nomes da música popular brasileira, como Elis Regina, Gal Costa, Maria Bethania, Milton Nascimento, Ney Matogrosso, Edu Lobo, Emilio Santiago, Chico Buarque, Boca Livre, Nana Caymmi, Zizi Possi, Elizeth Cardoso, Simone, Leny Andrade, Monica Salmaso e muitos outros. Na área internacional, tem sido gravada por nomes de peso como Annie Lennox, Wallace Roney, David Sanchez, Jon Lucien, Claus Ogerman, Gerry Mulligan, Till Brönner, Flora Purim e outros mais. Composições suas têm sido utilizadas em trilhas sonoras de filmes (como "O Jogador", de Robert Altman, e “Legalmente Loira”), animações (participou da trilha do anime japones “Wolf’s Rain” em parceria com a compositora japonesa Yoko Kanno), em programas de TV e em espetáculos teatrais. Sua marca registrada foi, desde o início da carreira, a linguagem feminina na 1ª pessoa, no que foi pioneira: foi a primeira compositora brasileira a se expressar desta forma na história da MPB, abrindo caminho para um sem-número de outras criadoras que viriam depois.

    Recebeu 4 indicações ao Grammy Latino e tem até o momento 33 CDs individuais, além de compilacões e participações. Atualmente, seu trabalho segue também trilha internacional, com turnês mundiais a cada ano e gravações de novos discos em diferentes países, sem perder nunca sua identidade brasileira-feminina. Apresenta-se anualmente no circuito Blue Note no Japão e em festivais de jazz e em turnês na Europa, Estados Unidos e Canadá.

MULTIMIDIA:
No ano de 1997, iniciou também uma nova fase em seu trabalho, com o lançamento de seu 1º livro de crônicas, Fotografei Você na Minha Rolleyflex, um apanhado de histórias sobre os bastidores da MPB nos últimos 30 anos, pela editora MultiMais. Escreveu também  uma coluna semanal no jornal carioca "O Dia", de 1998 a 2000.

Em 1999, seu trabalho torna-se cada vez mais multimídia, com  as gravações de um projeto seu  para TV, a série "Cantos do Rio", que mostra a MPB e seus criadores pelo Rio de Janeiro. Esta série foi exibida pela TV Educativa do Rio durante o ano de 2000, com grande sucesso. Uma nova temporada do 'Cantos do Rio' foi gravada e exibida pela Band-Rio em 2002.
Em 2010/2011 cria e apresenta outra série para a MultiRio, ‘No Compasso da História’, a História do Brasil contada através da MPB, em 15 documentários.

Rio Música

Domingo - dia 22/1

Rio Música para crianças – 16h - "O Passo" - musicalização (método de Lucas Ciavatta)
Rio Música Jovem – bandas espetáculos voltados ao público jovem - 18h - Banda Ava