cmrmc

cmrmc

segunda-feira, 19 de março de 2012

Rio Música Clássica


Ruth Serrão (piano) e Laura Ronai (flauta)
Dia 22/3 - Quinta-feira - 19h30



Ruth Serrão (piano) e Laura Ronai (flauta) celebram os 130 anos do Clube Beethoven
Obras de: Bach, Villa-Lobos, Fauré, Debussy

Laura Rónai, flauta

Começou seus estudos de flauta com os professores Lenir Siqueira, Celso Woltzenlogel e David Evans, e de música de câmara com o professor Luís Senise. Formou-se em Licenciatura em Música pela Uni-RIO, em 1976.
Em 1978 recebeu bolsa da Fundação Helena Rubinstein e do governo norte-americano para freqüentar a State University of New York (College at Purchase), onde estudou com Robert Levin, Steve Lubin e Myron Fink, entre outros. Iniciou, em 1982, o curso de mestrado na City University of New York (Hunter College), graças a uma bolsa concedida pelo CNPq para pesquisa em ornamentação e técnicas de execução do período barroco. Especializou-se em flauta transversal barroca sob a orientação de Sandra Miller. Ao se diplomar, em 1984, recebeu o prêmio Rosa Riegelmann Heinz, outorgado ao melhor aluno formado naquele ano.
Desde que voltou ao Brasil, tem se dedicado ao ensino e à divulgação de seu instrumento, através de recitais, concertos, palestras e cursos. Se apresentou durante 17 anos em duo com Marcelo Fagerlande, além de tocar também com a soprano Carol McDavit e com a cravista Rosana Lanzelotte, com quem gravou o disco "Settecento".
Em janeiro de 1995 Laura Rónai gravou, com Marcelo Fagerlande, um disco de música barroca, comemorativo dos 15 anos de trabalho conjunto do duo. O lançamento deste CD foi saudado com entusiasmo incomum pela crítica especializada, tendo sido eleito como o melhor lançamento clássico daquele ano.
Chamada regularmente a ensinar nos principais encontros de música antiga do país, Laura ministrou, em 1991, um curso de flauta barroca no Real Conservatório Superior de Madrid. No mesmo ano visitou a Inglaterra, a convite do British Council, e tocou recitais na Hungria e em Portugal.
O nome de Laura tem sido freqüentemente citado na lista dos melhores músicos da temporada, elaborada anualmente pelo Jornal do Brasil. Atualmente leciona flauta na UNIRIO como Professora Adjunta de Flauta, cargo obtido por concurso em 1996. Desde 1994 é também secretária-tesoureira da ABRAF (Associação Brasileira de Flautistas).
Laura esteve também diretamente envolvida com a organização e realização do 1o e do 2o Festival Internacional de Flautistas, que ocorreram em setembro de 1995 e de 1997, respectivamente. Em 1998 foi responsável pela direção musical da série Encontros de flautas, no Centro Cultural Banco do Brasil.
Atualmente Laura se apresenta em duo com a cravista Sula Kossatz e com a pianista Ruth Serrão. Em 1999 participou como convidada do Boston Early Music Festival.
Desde 1998 tem se apresentado com o grupo norte-americano Triomphe de l’Amour, com o qual gravou dois CDs (Música de Câmara de Boismortier) .

Ruth Serrão, piano

Natural de Niterói, RJ, a pianista Ruth Serrão estudou no Brasil, na França e nos Estados Unidos. No Brasil, conquistou o primeiro prêmio no Concurso para Solistas da Orquestra Sinfônica Brasileira, bem como numerosos prêmios em concursos nacionais.
Sua carreira, bem diversificada, inclui participação em bancas de júri e em festivais. Vem realizando, com sucesso, cursos e aulas públicas para professores e pianistas, tanto no Brasil como no exterior. Sua experiência pedagógica, a nível universitário, desenvolveu-se nos Estados Unidos, integrando mais tarde o corpo docente da UNIRIO.
No Brasil e no exterior, suas atividades de pesquisa e divulgação da música brasileira – através de artigos, gravações, palestras e concertos – vêm merecendo elogios do público e da crítica especializada. Diversos compositores, como Guerra-Peixe, Guilherme Bauer, Maria Helena Rosas Fernandes e Antônio Guerreiro, entre outros, dedicaram obras à pianista Ruth Serrão, responsável por inúmeras estréias mundiais de música latino-americana.
Como recitalista vem cumprindo intenso programa de apresentações, já tendo atuado na Itália, França, Inglaterra, Estados Unidos e Brasil, e em salas de concerto, rádio e televisão.
Como solista de orquestra, participou da homenagem ao maestro Guerra-Peixe, sob a regência do compositor, assim como das comemorações do centenário de Villa-Lobos, em Brasília (OSN) e em São Paulo (OSESP). Apresentou-se no Memorial da América Latina (São Paulo) com a OSESP por ocasião do bicentenário de Mozart e do 1O Festival Panamericano de Música Contemporânea na estréia mundial das Variações Rítmicas para Piano e Orquestra de Guilherme Bauer, peça dedicada à Ruth Serrão.
Seu trabalho de pesquisa sobre a música brasileira, resultou na descoberta de três manuscritos inéditos do Padre José Maurício Nunes Garcia (1767-1830): 3 Matinas de Quarta-feira Maior, assim como a gravação e a edição didática de sua obra completa para piano.
Entre as gravações mais recentes podemos citar sua participação nos CDs Fraterno, com obras de Ernani Aguiar e Dawid Korenchendler, lançado pela Academia Brasileira de Música, e Guerra-Peixe – Música de Câmera, pelo selo RioArte.
Em 2009, deverá gravar 2 CDs com Música para Piano de Cesar Guerra-Peixe: um projeto patrocinado pela Petrobrás.
Clube Beethoven – 130 anos

Preparava-se o Rio para comemorar o Carnaval de 1882 quando, numa quinta feira, 4 de fevereiro, o Clube Beethoven inaugura suas atividades com um sarau musical em sua sede à rua do Catete 102, fazendo ouvir na ocasião obras de Wagner, Rubinstein, Tartini, Weber e, do patrono do Clube, Beethoven, o Quarteto op. 18 no 4.

O Clube Beethoven gozava de grande prestigio na cidade. Seus concertos quinzenais, sempre bastante frequentados, eram noticiados e comentados pela imprensa como o acontecimento da semana, muitas vezes honrado com a presença do Imperador D. Pedro II.

A divulgação de forma sistemática do repertório camerístico constitui a principal contribuição do Clube Beethoven à nossa cultura musical, familiarizando o publico com um gênero até então pouco conhecido, já que eram frequentes as audições de obras de câmara de Mozart, Haydn, Mendelssohn, Schubert, Schumann, Weber, Chopin e outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário