cmrmc

cmrmc

segunda-feira, 12 de março de 2012

Rio Ritmos


Guinga
Dia 17/3 - Sábado - 19h30


Noturno Copacabana
Guinga, o afilhado da Zona Sul carioca
(Adriana Sanglard e Flávia Souza Lima)

Considerado pela crítica "a maior revelação musical da década de 90", "o mais importante herdeiro da brasilidade de Villa-Lobos", entre uma vasta coleção de títulos sublimes, Guinga tem hoje, em sua própria legião de admiradores e entusiastas, artistas do quilate de Paco de Lucia, Michel Legrand, Sérgio Mendes, Ed Motta, Lenine, Ivan Lins e Leila Pinheiro. Além disso, o músico vem conquistando o público norte-americano, dinamarquês, espanhol e italiano.

Noturno Copacabana conta com a participação de três ótimas cantoras. A já citada Leila - uma das maiores incentivadoras do compositor, que além do álbum dedicado às suas parcerias com Aldir Blanc, Catavento e Girassol, de 1996, gravou outra dezena canções dele -, Fátima Guedes, que desde 1993 grava Guinga e Aldir em seus discos, e a cantora paulistana Ana Luiza, que o anfitrião apresenta para o seu público. O restante das canções, fora quatro faixas instrumentais, são interpretadas pelo próprio Guinga, que vem perdendo a timidez para o canto, como se vê em Senhorinha.

Simone Guimarães letrou o maracatu Desavença e o baião Pra Jackson e Almira, escrito a partir do acróstico "Para Jackson e Almira esta homenagem", além do lundu Rasgando Seda, cuja letra homenageia Guinga ("tu és o anjo novo da canção"). O pianista Luís Felipe Gama é também profícuo letrista, basta conferir em Silêncio de Iara). Mauro Aguiar deixa a pena correr solta na divertida Concubinato (que traz Guinga e Fatima Guedes em hilária dobradinha), é destacado ainda na pungente Canção Desnecessária. Aldir Blanc, mestre, mostra a categoria habitual em Abluesado e Paulo Cesar Pinheiro paira emocionante em Senhorinha e Fonte Abandonada, dificílima valsa que depois de engavetada por 20 anos, ganha o reforço do Quarteto de violões Maogani e os vocais de Leila Pinheiro.
Não bastasse, Noturno Copacabana traz ainda primoroso escrete de sopros. Já em Garoa e Maresia, tema instrumental que descortina o CD, estão Carlos Malta (flautas), Paulo Sérgio Santos (clarinetes) e Jessé Sadoc (flugelhorn) - além das cordas cruzadas de Guinga (violão), Lula Galvão (guitarra) e Jorge Helder (baixo). Os sopros também dão o tom de Abluesado, com o trombone de Sérgio de Jesus mais sax e clarinete de Paulo Sérgio Santos. Nailor Proveta (sax alto) sobre a cama de cordas realça Depois do Sonho, parceria de Guinga e Luis Felipe Gama, o mesmo de O Silêncio de Iara, que traz a cantora Ana Luiza. Na faixa título, é o trompete de Jessé Sadoc que rasga a noite de Copacabana. Ainda nos sopros, há os de Marcelo Martins, Flávio Melo, Nelson Oliveira, Andréa Ernest Dias e Bocão inflando o disco.

"Um disco é acima de tudo uma maneira de eternizar o artista, de guardar sua essência. Meu trabalho reflete o que sou: não vim ao mundo como turista existencial", sintetiza Guinga. Para os afortunados ouvintes, trata-se de uma oportunidade imperdível de apreciar as belas valsas, modinhas, choros, blues e lundus presentes no universo musical do virtuoso compositor carioca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário