cmrmc

cmrmc

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Programação Centro Municipal de Referência da Música Carioca - Novembro / 2015

Rua: Conde de Bonfim, 824 - Tijuca
Tel: (21) 3238-3831


Exposição__________________________________________
Elifas Andreato: Contornos da Música Carioca (terça-feira a domingo – 10h as 18h)
GRATUITO
A exposição pretende apresentar o envolvimento integral do artista com a música produzida no Rio de Janeiro, seus principais personagens, cenários e produtos: discos, capas de discos, cartazes, shows. Por meio de representações cenográficas, fotografias, reproduções, peças gráficas e recursos audiovisuais diversos, a mostra objetiva apresentar o processo de criação, as técnicas e histórias de parte significativa da produção do artista gráfico Elifas Andreato, que completou 50 anos de carreira em 2014. Uma série de reproduções consagradas que habitam o imaginário popular.

Clássicos Domingos________________________________
Dia 1/11 – domingo – 11h – Duo de Cordas Dedilhadas
Ingresso: R$ 1,00
Para além de sua relação com o universo rural, a viola de dez cordas vem conquistando espaço nas salas de concerto como instrumento solista com grandes possibilidades interpretativas. Isto pode ser constatado no repertório escolhido pelo duo, Marcelo Lopes e Ramon Araújo, onde peças de compositores eruditos como Villa-Lobos e Fernando Sor dividem espaço com obras de autores contemporâneos com Hermeto Pascoal e Milton Nascimento.
O violão de sete cordas, conhecido por sua função tradicional de instrumento de acompanhamento no universo do choro, ganha destaque na medida em que exerce também a função de instrumento solista. O duo busca explorar as potencialidades da música brasileira em transcrições e arranjos de obras de nossos grandes compositores.

Dia 8/11 – domingo – 11h – Canaud & Rutigliano
Ingresso: R$ 1,00
Roberto Rutigliano (batería) e Fernanda Canaud (piano)
O espetáculo apresenta melodias conhecidas como Odeon e ritmos animados do repertorio brasileiro como o choro, baião, xote, maxixe e a valsa. Roberto Rutigliano tocou em duo com grandes nomes da música brasileira como a flautista Odette Ernest Dias; sua bateria se comporta explorando as riquezas tímbricas do instrumento. Fernanda Canaud é considerada uma das maiores interpretes da obra de Radamés, amante da boa música desde Schubert até Villa-Lobos.

Dia 15/11 – domingo – 11h – Concertos de câmara OSRJ (Orquestra de Solistas do Rio de Janeiro)
Ingresso: R$ 1,00
Com músicos premiados e laureados em concursos de música de câmara, a OSRJ mantém em seu elenco uma formação que contempla a música de câmara para as mais distintas formações: duos, trios, quartetos, quintetos, sextetos e septetos, além de um abrangente repertório, que inclui obras de grandes compositores clássicos até obras contemporâneas dedicadas à OSRJ.
A seguinte proposta tem por objetivo levar até o público, concertos de excelência, utilizando alguma das formações camerísticas disponíveis dentro do escopo da OSRJ. No repertório Beethoven (Septeto em Mi Bemol Maior), Richard Strauss (Till Eulenspiegel), Francisco Mignone (Valsa Seresteira), Edino Krieger (Choro Manhoso) e Villa-Lobos (Melodia Sentimental).

Dia 22/11 – domingo – 11h – Trio Clarioca in Concert
Ingresso: R$ 1,00
O Trio Carioca é o único trio de clarinetas no Brasil e se dedica a executar peças originalmente escritas para esta formação. A proposta do conjunto, é explorar a literatura produzida para esta formação revelando uma literatura desconhecida de trios de clarinetas compostas por compositores brasileiros. O Recital apresenta o resultado de um encontro do Trio Carioca com importantes compositores, clarinetistas e arranjadores brasileiros revelando sonoramente a singularidade do conjunto que busca pela interação entre a música de câmara e a popular, entre a precisão e o swing e entre o escrito e o improvisado.

Dia 29/11 – domingo – 11h – O Barroco Italiano – Música Solo para Teorba
Ingresso: R$ 1,00
Bruno Figueiredo apresenta um repertório formado exclusivamente de compositores italianos da primeira metade do século XVII. A teorba, instrumento conhecido inicialmente como chitarrone, nasceu na Itália ao fim do Renascimento. Tornou-se um dos mais importantes elementos no acompanhamento de música vocal, especialmente de canções, árias e recitativos com baixo-contínuo. Devido a sua grande envergadura a teorba impressiona ao público tanto por seu aspecto exótico como por sua doce sonoridade – esta última era uma virtude muito apreciada no período Barroco.

Domingo das crianças______________________________
Dia 1/11 – domingo – 16h – Hamilton Catette em Contos e Cantos de Encantos e Calafrios
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Show musical com histórias que dão um pouquinho de medo e provocam muitas risadas.

Dia 8/11 – domingo – 16h – Josué Soares e Leila Carvalho apresentam Por Gentileza
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
O espetáculo traz de forma divertida com músicas, mímica e bonecos, o ideário do Profeta Gentileza, Jose Datrino, autor de um livro a céu aberto, escrito nas paredes e pilastras próximas à Rodoviária Novo Rio. Pregando a solidariedade, a cordialidade e a paz entre os homens, sua filosofia é tema de livros, teses de mestrado e doutorado e até de enredo de escola de samba (Grande Rio / 2001). Também serviu de inspiração para composições de ícones como Marisa Monte, Maurício Duboc e Gonzaguinha.

Dia 15/11 – domingo – 16h – Flávio Dana apresenta Godofredo – O Craque
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Flávio conta cantando a divertida história do bode Godofredo que é um craque da bola vindo lá do sertão nordestino.
Flávio Dana é carioca, músico popular, compositor e educador musical. Como educador musical atuou nos ensinos fundamental e médio, em colégio da rede privada e, ainda, no terceiro setor, em projetos sociais no Complexo do Alemão e em São Gonçalo. Criou e implementou oficinas de "Estimulo à Criatividade" onde a composição musical, e outras linguagens artísticas, são utilizadas para a criação de curtas de animação pelos alunos, que criam argumento, roteiro, ilustrações, tocam e cantam suas próprias trilhas.

Dia 22/11 – domingo – 16h – O Baú Que Conta e Canta apresenta Se Essa Rua Fosse Minha
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
O Baú Que Conta E Canta vai se abrir e levar o público a um passeio pela rua da imaginação, com músicas do folclore e histórias cantadas poéticas.

Dia 29/11 – domingo – 16h – Teatro de Roda apresenta Musical das Cantigas para toda a Família
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Show interativo, em que os personagens abordam os aspectos da vida cotidiana de todas as pessoas e lidam com a diversidade de manifestações. Não se conta apenas uma história, mas várias. São as histórias de Samba-Lelê, Samba-Crioula, Linda Rosa, Belo Rei, Bela Morena, e muitos outros personagens no embalo das danças, ao som das cantigas.
____________________________________________________________________________________________________
Projeto EGEM (Encontro Geral Musical)
É uma iniciativa que nasceu a partir de dois debates realizados no programa "Maestros MPB” da Radio MEC apresentado por Jaime Alem, com a participação de Gilson Peranzzetta, Itamar Assiére, Jessé Sadoc, Marcelo Martins e Felipe Radicetti, onde alguns temas foram debatidos, entre eles: a música como entretenimento e a música para se ouvir, a reconquista do público para o que se convencionou chamar de MPB e a opção da mídia convencional pela música massificada. Ao final destes debates foi feito um apelo à mobilização de músicos instrumentistas, cantores e compositores em prol de projetos coletivos para sacudir da imobilidade do segmento da música popular.

Dia 4/11 – quarta-feira – Leny Andrade e João Carlos Coutinho (Projeto EGEM)
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Com cerca de 56 anos de carreira e mais de 25 discos gravados, em 2007 Leny dividiu um Grammy Latino com César Camargo Mariano para Melhor Álbum MPB ao Vivo. Seus recentes trabalhos são o CD de boleros “Alma Mia”; o CD “Iluminados”, gravado a pedido do Ivan Lins para comemorar os 40 anos da parceria dele com Victor Martins; o CD "Las Canciones del Rey", com os maiores sucessos do Roberto Carlos cantados em espanhol.
O pianista, tecladista, compositor e arranjador João Carlos Coutinho é um instrumentista requisitado e atuante. Sua versatilidade o levou a tocar com artistas de variadas matizes, dentre eles Luciano Pavarotti, Emílio Santiago, João Nogueira, Cauby Peixoto, Gilberto Gil, as cantoras: Leila Pinheiro, Baby Consuelo, Simone, Maria Bethânia, e Leny Andrade, com quem excursionou pela Europa e atuou como arranjador e diretor musical. Também acompanhou e gravou com grupos vocais como, os Cariocas, Boca Livre, Nós Quatro. João Carlos Coutinho também atuou como arranjador, pianista e diretor musical do Prêmio da Musica em homenagem Noel Rosa e João Bosco.
Neste show, João Carlos divide palco com Leny Andrade e também mostra alguns temas instrumentais.

Dia 18/11 – quarta-feira – Jaime Alem Viola Instrumental, com Bruno Aguilar e Reginaldo Vargas (Projeto EGEM)
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Jaime divide o palco com dois grandes instrumentistas: Bruno Aguilar no contrabaixo acústico e violão de 7 cordas e Reginaldo Vargas na percussão, formatando um poderoso trio instrumental.
O compositor, instrumentista e arranjador que iniciou sua carreira aos 16 anos, no interior paulista de Jacareí, foi por quase trinta anos maestro de Maria Bethânia. Produziu e dirigiu mais de 15 discos da cantora, além de álbuns de outros artistas, como Mart´nália e Sueli Costa; compôs ainda trilhas sonoras para cinema (Dois Filhos de Francisco e Mutum) e teatro (Três Irmãs, de Tchecov; e Gente Fina é a Mesma Coisa, de Alain Aikbourn). Na década de 70 lançou, em parceria com sua mulher e também cantora Nair de Cândia, dois discos - “Jaime e Nair” e “Amanheceremos”. Em 2009 lançou seu primeiro CD solo como instrumentista: “Dez Cordas do Brasil” (Selo Repique) e em 2014 o CD “Meu Relicário (Biscoito Fino). Além do repertório autoral, neste show Jaime adapta a viola à obra de outros autores, rendendo homenagem a Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti e Sivuca.
________________________________________
Dia 5/11 – quinta-feira – 19h30 – Projeto Rock S/A apresenta Dashing Geeks e Geminianos
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Dashing Geeks – Amigos, músicos e fãs de cultura pop. Alex Carvalho, Rodrigo Dracxler, Caribé Novaes, Pietro Cruzetta e Igor Leocadio apresentarão rock movidos por paixão e inspiração. No repertório um pouco de Cream, David Bowie, New Order, Stone Temple Pilots, AC/DC e The Killers.
Geminianos – Instrumentos, vozes e composições. Influência dos anos 60 e 70, rocks, pops e baladas.

Dia 6/11 – sexta-feira – 19h30 – Caipirando
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
O grupo apresenta um universo cultural e original da música sertaneja, também conhecida como música caipira ou de “raiz” onde a viola é o instrumento tradicional. Por meio dela, essas canções vem sendo entoada há décadas, atravessando gerações, e estão presentes no nosso dia a dia.

Dia 7/11 – sábado – 19h30 – Jota Maranhão & Graci Felix
Os cantores e compositores Jota Maranhão e Graci Felix sobem ao palco para apresentar o show "Íntimo". Jota Maranhão canta seus sucessos gravados por grandes nomes da MPB como Encontro das ÁguasEla Une Todas as CoisasRetrósFlamboyant e muito mais. Graci Felix, por sua vez, interpreta clássicos da nossa música popular e apresenta suas composições que estão presentes em seu primeiro trabalho "Cheiro de Âmbar", gravado nos estúdios da Warner Chappell sob os cuidados e produção de Jota Maranhão, Zeppa Souza e Jorge Vercillo, com lançamento previsto para o início do ano.
___________________________________
Paixão de Ler
  • Dia 11/11/15 – 14h00
Gratuito
OFICINA: “A música no Rio de Janeiro” história das principais canções que descrevem o Rio de Janeiro.
Quem irá executá-la é Rodrigo Faour, jornalista, produtor musical e historiador de música brasileira. Já escreveu seis livros – quatro biografias (Cauby Peixoto, Claudette Soares, Dolores Duran e Angela Maria, lançará em outubro), além de um livro sobre a Revista do Rádio e a História Sexual da MPB, um estudo de comportamento e música, do século XVIII aos dias de hoje.

  • Dia 12/11
    Horário: 16h
    Local: Casarão (Gratuito)
Evento: Tá rindo de que?” – Apresentação de um conto carioca cheio de sorriso com Ricardo Sorriso e Tânia Barroso (contadora de histórias/escritora)

Horário: 19h30
Local: Sala Paulo Moura (Gratuito)
Um encontro de música e literatura: a apresentação do livro “Vou te contar” organizado por Celina Portocarrero, reúne 20 histórias baseadas nas canções de Tom Jobim que imortalizou na história da música a sua paixão pelo Rio de Janeiro.Três escritores conversarão com o público acompanhados de um show de bossa-nova com Ana Clara Gurjão.
___________________________________
Dia 13/11 – sexta-feira – 19h30 – Reizilan Cartola Neto e Rose Maia apresentam As Esquinas de Minas
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
O duo apresenta uma viagem musical de alguns compositores mineiros, que transitam desde o samba até o que há de mais moderno da MPB, com releituras contemporâneas, entre alguns estão: Ary Barroso, Lô Borges, Altemar Dutra, Toninho Horta, Geraldo Pereira e Milton Nascimento.

Dia 14/11 – sábado – 19h30 – Thais Macedo
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
A artista transita com destreza pelo samba e pelo choro, fluminense, nascida em Macaé e criada na cidade litorânea de Rio das Ostras, entra na roda embalada pelos novos ventos que apontam para o reordenamento do ranking de vozes femininas da atual boca de cena no País. Thais Macedo aterrissa segura neste solo fértil adubado por mestres, como Jacob do Bandolim, Ernesto Nazareth, Cartola, Candeia, Heitor dos Prazeres, Noel, Synval, Ismael, Paulinho da Viola, Baden, Paulo César Pinheiro. Carrega na barra da saia com que varre o palco a força cênica de divas da MPB, verdadeiras “entidades” que ajudaram a construir a história de nossa música.

Dia 19/11 – quinta-feira – 19h30 – Projeto Rock S/A apresenta Urgia Santo Caos
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Urgia – a banda apresenta vários estilos do universo do rock. Dentro do gênero, o grupo explora principalmente elementos do rock clássico, do punk rock e do rock brasileiro dos anos 80, além de flertar com a MPB.
Santo Caos – Bruno de Assis (vocalista), Thiago de Assis (guitarrista e vocalista), Marcos Lima (baixista), J. Nicacio (tecladista) e Diogo Melo (baterista). O nome Santo Caos surgiu como um reflexo do que já estava sendo feito, que era representar o caos de suas vidas em versos simples e profundos e harmonias pesadas e melódicas. A intenção em explorar o clássico e o alternativo, e uni-los em uma nova face foi o que seduziu os integrantes a consolidar o trabalho.

Dia 20/11 – sexta-feira – 19h30 – Paulinho Lemos
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Depois de quase 20 anos fora do Brasil, Paulinho elaborou um trabalho cheio de ressonâncias, ecos, retrospectos e prefigurações do que vivera e viveria: vai de uma esplêndida recriação de “Timoneiro” (Paulinho da Viola/Hermínio), que evidenciava a ancestral ligação semba samba, a um pungente samblues em parceria com Fátima Guedes, passando pelo “coupé-décalé” em tributo a Cesária Évora, sambas “sincopados”, bossas, sozinho ou em parcerias diversas e competentes – Moacyr Luz, Rogério Batalha, Agenor de Oliveira.

Dia 21/11 – sábado – 19h30 – Carlinhos Vergueiro convida Julião Boêmio – Uma homenagem a Nelson Gonçalves
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Carlinhos Vergueiro (voz), Julião Boêmio (bandolim e arranjos), Vinicius Chamorro (violão de 7 cordas), Marcela Zanette (flautas), Luiz Rolim e Ricardo Salmazo (percussão).
O cantor e compositor Carlinhos Vergueiro convida o cavaquinista e compositor Julião Boêmio, representante da nova geração do choro e do samba do Paraná para dividir o palco numa homenagem a Nelson Gonçalves, considerado o Rei do Rádio, e que teve uma carreira de mais de 50 anos de grande sucesso com centenas de discos gravados. Este show procura resgatar para o grande público as interpretações de Nelson Gonçalves, um personagem histórico da cultura brasileira, principalmente pela sua representatividade no rádio e no disco. No repertório sucessos como “Fica comigo essa noite” (Adelino Moreira e Nélson Gonçalves), “Naquela Mesa” (Sergio Bittencourt), “A Volta do boêmio” (Adelino Moreira), “Pensando em ti” (Herivelto Martins e David Nasser).
_________________________________
TERRA DO RAP 2015
FESTIVAL DE RAP DA LÍNGUA PORTUGUESA
ANO III, EDIÇÃO “ÁFRICA LUSÓFONA”

Dias 23 e 24/11
Das 14h às 18h: OFICINA RAP LUSÓFONO – Oficina de RAP & BEAT para até 30 jovens artistas cariocas que ainda não possuem um produto fonográfico, sendo mediado por 3 beatmakers. Como resultado, no dia 25 de novembro (das 10h às 13h) teremos a gravação de até 10 fonogramas ao vivo (no palco do Festival) e a apresentação das músicas no dia 26 de novembro.
Mediadores: Dj Caíque/ Mestre Xim/ Alexandre Diaphra
ENTRADA: Mediante prévia inscrição no site www.terradorap.com

Dia 25/11
O dia 25 de novembro será dedicado ao elemento-pilar da cultura hip-hop: o conhecimento, tendo a participação de articuladores da cultura urbana da cidade do Rio de Janeiro debatendo a temática sobre o trânsito imigratório de produtores culturais de África Lusófona na cidade do Rio de Janeiro. No encerramento do dia, a Dj Tamy (Rio de Janeiro), realizará um pocket show com a performance de rappers de origem lusoafricana, mas que imigraram para regiões como o Complexo da Maré (Badharó) e Catumbi (Xumane); que nesses territórios fomentam o mercado de maneira local, mas ainda isolados do circuito cultural carioca.
PRA LUSOFONIA NASCE UM NOVO DIA – Exibição de documentário, debate acerca do tema desta edição com a participação de formadores de opinião e imigrantes de África Lusófona no Rio. Pocket show de rappers imigrantes residentes na cidade do Rio de Janeiro.
17h – Sessão Terra do Rap (exibição de filme) (GRATUITO)
18h – Debate: “A África É Aqui – A importância da matriz afro na construção do Rio de Janeiro (GRATUITO)
O papel do imigrante lusoafricano na cidade no Século XXI” (Écio Salles / Daniele Ramalho / Ngambala / Rafael dos Santos)
19h30 – Pra Lusofonia Nasce Um Novo Dia (INGRESSO: R$ 1,00)
Pocket Show de Interação de rappers lusoafricanos residentes na cidade do Rio de Janeiro sob mediação de dj carioca (Dj Tamy / Badharó / Xumane) 

Dia 26/11
FITA MISTURADA AO VIVO – Apresentação dos alunos que participaram da “Oficina Rap Lusófono”; homenagem ao rapper Sabotage (Spoken Session com 2 rappers e 1 pianista, com letras próprias que apresentam o legado do rapper e/ou releituras de suas letras, com duração de 30 minutos); concerto exclusivo de até 90 minutos com artistas de África Lusófona e do Rio de Janeiro.
17h - Performance dos alunos (GRATUITO)
Apresentação ao vivo dos 10 fonogramas produzidos pelos participantes da “Oficina Rap Lusófono”
19h30 - Homenagem “Terra do Rap 2015” – Sabotag(INGRESSO: R$ 1,00)
Performance ao vivo de Spoken Word acompanhado ao piano com releituras de musicas do rapper Sabotage (BNegão/ Alexandre Diaphra/ Marion Lemonnier)
20h – Fita Misturada ao Vivo: Show de encerramento; em formato de mixtape ao vivo, os artistas do Rio interagem com rappers de outras cidades lusófonas (Aori / Antiéticos / Carta na Manga / Janine Mathias / NBC / MCK / Mamy The Miss Skills / Gól Wayne)

Dia 27/11 – sexta-feira – 19h30 – Wanda Sá
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
Wanda conhece a bossa-nova, revela músicas muitas vezes que poucos sabem mas ela viu nascer do violão dos compositores desse movimento. Wanda é uma artista moderna em sintonia com a história da música, da bossa-nova e atenta as novas tendências. No espetáculo músicas como: Inútil Paisagem de Tom Jobim, Desafinado Tom Jobim, Eu sei que vou te amar de Tom e Vinicius, Ela é Carioca de Tom e Vinicius, Saudade da Bahia de Caymmi, Sábado em Copacabana de Caymmi e assim vai passeando pelo repertório de cada um dos três e contando histórias de sua convivência com eles.

Dia 28/11 – sábado – 19h30 – Tomás Improta e Gabi Buarque em Homenagem à Maria Bethânia
Ingresso: inteira R$ 20,00 / meia: R$ 10,00
O pianista e arranjador Tomás Improta ao lado da cantora e compositora Gabi Buarque apresentam clássicos da MPB consagrados na voz de Maria Bethânia, que comemora 50 anos de carreira. O repertório é centrado em gravações históricas que tiveram participação do pianista, presentes em discos antológicos como “Doces Bárbaros” (1976), “Álibi” (1978) e “Talismã” (1980). Além das canções gravadas por Tomás, o roteiro conta com sucessos como “Carcará” que apresentou Bethânia ao cenário musical, “Olhos nos olhos”, “Fera Ferida”, dentre outros. O espetáculo apresenta algumas versões instrumentais como “Pra Dizer Adeus” e “Avarandado”. Na costura das canções, Gabi Buarque, além de tocar violão e cantar, diz trechos de poemas de Alberto Caeiro, Guimarães Rosa, Vinicius de Moraes e Alice Ruiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário